Tomada de Decisão, como Fazê-la?

Em meados do século passado, um executivo americano do setor de telefonia, Chester Barnard, inseriu a expressão tomada de decisão, típica do vocabulário da gestão publica, no mundo dos negócios. Com isso o administrador passou a buscar decisões rápidas e de pronta execução.

No ambiente corporativo de hoje a tomada de decisão é a bifurcação de uma longa estrada de trabalho entre a continuidade na sua empresa ou se sua saída dela. Imagine você quer seja empregador ou empregado viajando por um estrada por onde mais que você ande o horizonte sempre é a ultima imagem que seus olhos conseguem ver, nesta estrada você encontrará percalços no caminho, encontrará atalhos e desvios de rotas mas todas as facilidades ou dificuldades que lhe acontecem em neste caminho ainda não dependem de você mas da estrada, mas haverão de chegar momentos em que este caminho lhe oferecerá uma serie de bifurcações e então neste momento não caberá ao seu caminho decidir por onde você deve ir mas sim você é quem tomará a decisão de por onde ir, a sua escolha, a sua tomada de decisão lhe levará ao sucesso ou ao insucesso. Então como poderemos tomar a decisão certa, de uma coisa de eu tenho certeza, no mundo dos negócios a tomada de decisão feita por impulso ou intuição tem 90% de chances de dar errada no momento ou em algum tempo após a sua decisão por isso toda decisão deve ser feita baseada em analises e estudos.

Se você pesquisar no “Wikipédia” o termo tomada de decisões terá o seguinte significado: “Tomada de decisões é o processo pelo qual são escolhidas algumas ou apenas uma entre muitas alternativas para as ações a serem realizadas.” Veja que na definição a palavra processo está em destaque, isso ocorre pois a decisão realmente é um processo onde possuem as seguintes etapas:

1° – Apresentação da Situação Problema;
2° – Levantamento de seu Impacto na Empresa;
3° – Analises e Alternativas para a Resolução do Problema;
4° – Tomada de Decisão Baseada Melhor Alternativa para a Resolução do Problema;
5° – Implementação da Decisão para Reverter o Problema;
6° – Resultado da Tomada de Decisão;

Após finalizar essas etapas o gestor deve novamente reunir-se com a equipe e trabalhar no motivo do problema e então tomar a decisão administrativa que couber devido a geração da situação problema levando em consideração os impactos causados ou que poderiam ter causados na empresa, o motivo da situação problema e se houve reincidência do causador ou dos causadores desta situação.

Muitos gestores e empresários fazem o inverso do que apresentei acima, geralmente eles primeiro preocupam-se em identificar o causador da situação problema e acaba deixando que este problema aumente seu impacto negativo na empresa e quando o gestor resolve tomar a decisão para reverter a situação problema o impacto talvez não possa mais ser minimizado e o gestor terá que absorver o problema para a empresa.

Um gestor que só utiliza a intuição para tomadas de decisão só aprende com o feedback dos resultados finais, que é um professor caro e inclemente. A tomada de decisão é uma mescla de várias disciplinas do saber dentro de uma empresa para tomar uma decisão comercial será necessário estudar as alternativas junto com o financeiro, planeamento, compras, contabilidade, informática e etc.

Para tomar uma boa decisão o gestor deve calcular e administrar os riscos que acompanham a decisão, riscos estes que devem estar o mais próximo possível da realidade. As alternativas para a tomada de decisão estão sempre passeando nas mentes das equipes, e o gestor deve ter a sensibilidade de saber como coloca-las a disposição da resolução da situação problema, a comunicação deve ser aberta e clara, as alternativas para a tomada de decisão não deve vir somente da área problemática mas também não deve tornar essa exposição das alternativas um “brainstorm” pois esse processo pode ser demorado por sair da linha de pensamento do problema, pode-se usar o “benchmark” como ferramenta caso o problema seja algo em comum entre as empresas, analises numéricas e comparativos com o passado também são boas ferramentas para tomada de decisão. È nesse momento que o capital intelectual de sua empresa é valorizado pois a empresa que não possuir um capital intelectual alto não obterão alternativas satisfatórias para a resolução do problema e toda a responsabilidade para tomar a decisão recairá aos ombros do empresário ou gestor que geralmente não tem respaldo técnico para tomar a decisão mais acertada, entenda um empresário ou um executivo podem tomar uma decisão do setor de informática por exemplo mas a sua decisão será tomada de acordo com as alternativas apresentadas, mas o mesmo não poderá gerar as alternativas, umas coisa é tomar a decisão e outra é gerar alternativa.

Fica claro que pessoal bem treinado, capital intelectual de bom nível, comunicação, abertura para ideias, prioridade na resolução do problema, traçar o caminho percorrido pelo problema, procurar alternativas para a tomada de decisão, analises numéricas são ferramentas para uma tomada de decisão segura e com um menor percentual de risco.

Diego Abrantes
“A derrota é passageira mas a vitória é eterna.” Sobre o Autor
Diego Abrantes, consultor especializado em pequenas e médias empresas, situado em Fortaleza/Ce, área de atuação: planejamento, tomada de decisão, liderança, compras, gestão de estoque e vendas.

By: Artigos.com

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: