Nelsinho Piquet diz que ainda sonha em ser campeão da Fórmula 1

SÃO PAULO (Reuters) – Nelsinho Piquet afirmou que ainda sonha em ser campeão da Fórmula 1 e negou que tenha partido dele a ideia de bater de propósito no Grande Prêmio de Cingapura de 2008 para manipular o resultado da corrida.

Ele fez questão de pedir desculpas aos fãs de automobilismo, e afirmou que quer “limpar” essa história logo para concentrar-se em voltar a correr.

“A primeira coisa é admitir o que eu fiz, e agora é me dedicar o máximo possível. Eu sei que vai ser difícil um retorno, mas eu nunca desisti, meu sonho sempre vai ser ser um campeão de Fórmula 1”, afirmou Nelsinho em entrevista à TV Globo divulgada na noite de domingo.

O ex-piloto da Renault alega que foi forçado pelo chefe da equipe, Flávio Briatore, e pelo ex-engenheiro-chefe, Pat Symonds, a participar da armação para melhorar sua situação dentro da equipe.

“Na hora deu para entender o que eles estavam tramando. Foi uma conversa e aos poucos eles foram dando a ideia. Falaram: ajudaria a equipe, ajudaria sua situação. E começaram a me convencer aos poucos”, afirmou Nelsinho

Após ser suspenso do esporte por cinco anos devido ao envolvimento no escândalo, Symonds afirmou que teria partido de Nelsinho a ideia de bater para favorecer seu então companheiro de equipe, Fernando Alonso, que acabou vencendo a prova. Mas o piloto brasileiro voltou a negar essa acusação.

“Eu não estava com cabeça nem para dizer não para uma história dessas, como é que ia ter cabeça para inventar (isso)”, disse ele, explicando que após a prova Briatore bateu nas suas costas e agradeceu.

Briatore foi excluído do esporte pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA), enquanto Nelsinho recebeu imunidade da entidade por ter revelado o caso.

Há uma semana, o tricampeão mundial de Fórmula 1, Nelson Piquet, afirmou que, se o filho tivesse falado com ele antes, jamais teria tido tal atitude, e que Nelsinho foi pressionado pela Renault a bater de propósito.

“Nem passou pela minha cabeça (falar com meu pai). Foi uma coisa tão rápida, com aqueles dois, acho que nunca estive na Renault com os dois na mesma sala, os dois falando comigo”, explicou Nelsinho.

“Foi tão duro que nem fui eu que contei (ao meu pai), não tive coragem de falar para ele, porque eu sabia o tanto que tinha sido errado o que eu fiz.”

Nelsinho foi criticado por alguns pilotos quando a Fórmula 1 retornou a Cingapura neste ano, logo depois de vir à tona o escândalo, mas afirmou que não está preocupado com o que os colegas dizem e sim em “estar bem com as equipes e não bem com os pilotos, que na pista vai ser guerra o tempo inteiro”.

(Reportagem de Camila Moreira)

Anúncios

Barrichello e Button são punidos e perdem cinco posições no grid

Barrichello e Button são punidos e perdem cinco posições no grid.

Pilotos não reduziram a velocidade com a pista em bandeira amarela

Diego Azubel/EFEFoto por Diego Azubel/EFE

Barrichello fez o quinto tempo, mas largará da nona colocação, duas à frente de Button


O piloto brasileiro Rubens Barrichello e o inglês Jenson Button foram punidos neste sábado (3) e perderam cinco posições no grid de largada para o Grande Prêmio do Japão de Fórmula 1, que será às 2h (de Brasília) deste domingo (4).

Barrichello, que largaria em quinto, caiu para a nona posição. Isso porque Timo Glock, da Toyota, que ficaria na frente do brasileiro no grid, sairá dos boxes, em 19º, porque terá que trocar o chassi de seu carro – o alemão sofreu um forte acidente e teve que ser levado ao hospital por causa de um corte profundo na perna.

Button, que fez o sétimo melhor tempo, larga em 11º. Os comissários da prova japonesa analisaram que os pilotos não reduziram a velocidade com a pista em bandeira amarela.

Fernando Alonso, da Renault, e Adrian Sutil, da Force India, foram punidos pelo mesmo motivo. Já a dupla da Toro Rosso, formada pelo suíço Sebastien Buemi e pelo italiano Vitantonio Liuzzi, também perdeu cinco posições no grid; Buemi, porque voltou aos boxes com o carro danificado, e Liuzzi por ter trocado a caixa de câmbio – mesmo problema de Heikki Kovalainen, da McLaren.

O australiano Mark Webber, da Red Bull, também precisará largar dos boxes porque trocará o chassi. Ele sairá da última posição.

O alemão Sebastian Vettel, da Red Bull, conquistou a pole position, seguido por Jarno Trulli, da Toyota, e Lewis Hamilton, da McLaren.

Vantagem

Rubinho, vice-líder do campeonato a 15 pontos do companheiro de equipe, o britânico Jenson Button, vai largar duas posições à frente do inglês na prova de domingo, no circuito de Suzuka.

Button tem 84 pontos no campeonato, contra 69 de Barrichello, restando três corridas para o fim do ano. Se o inglês ampliar sua vantagem de 15 para 20 pontos, o brasileiro não tem mais chances de ser campeão, porque poderia, no máximo, igualar a pontuação de Button.

O primeiro critério de desempate, no entanto, é o número de vitórias. Button tem seis triunfos no ano, contra dois de Barrichello, que não tem como alcançar o companheiro nesse critério restando apenas três provas.

Se o brasileiro abandonar a corrida japonesa, o britânico precisa apenas de um quarto lugar para conquistar o título já em Suzuka. Se Button vencer e Barrichello ficar fora do pódio, o Mundial de Pilotos também terá seu campeão no Japão.

Grid de largada provisório do GP do Japão:

1. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault)

2. Jarno Trulli (ITA/Toyota)

3. Lewis Hamilton (GBR/McLaren-Mercedes)

4. Nick Heidfeld (ALE/BMW Sauber)

5. Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari)

6. Nico Rosberg (ALE/Williams-Toyota)

7. Robert Kubica (POL/BMW Sauber)

8. Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes)

9. Rubens Barrichello (BRA/Brawn-Mercedes)

10. Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso-Ferrari)

11. Jenson Button (GBR/Brawn-Mercedes) 1:32.962

12. Giancarlo Fisichella (ITA/Ferrari)

13. Heikki Kovalainen (FIN/McLaren-Mercedes)

14. Sebastien Buemi (SUI/Toro Rosso-Ferrari) sem tempo no Q3

15. Kazuki Nakajima (JAP/Williams-Toyota)

16. Romain Grosjean (FRA/Renault)

17. Fernando Alonso (ESP/Renault)

18. Vitantonio Liuzzi (ITA/Force India-Mercedes)

19. Timo Glock (ALE/Toyota)

20. Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault)

By R7.com

Alonso substitui Raikkonen na Ferrari na próxima temporada

MILÃO (Reuters) – O piloto da Renault Fernando Alonso substituirá Kimi Raikkonen na Ferrari na próxima temporada, informou a equipe italiana nesta quarta-feira, pondo fim a meses de especulação em torno da mudança.

Campeão mundial em 2005 e 2006, o espanhol Alonso assinou um contrato de três anos e será colega de Felipe Massa no ano que vem. Não foi divulgado nenhum detalhe financeiro.

“Estamos muito satisfeitos em receber na nossa equipe um piloto vencedor, que demonstrou seu valor extraordinário ao já conquistar dois títulos mundiais em sua carreira”, disse o chefe da equipe da Ferrari, Stefano Domenicali, em um comunicado.

“Fernando tem uma personalidade extraordinária e faremos tudo para dar a ele e a Felipe um carro competitivo. Estamos certos de que esses dois pilotos formarão a melhor dupla possível para uma equipe como a nossa.”

“Tendo dito isso, queremos agradecer a Kimi pelo que ele fez com a Ferrari.”

O finlandês Raikkonen, que venceu o campeonato mundial de 2007 em sua primeira temporada com os italianos, vem sendo associado na mídia a um retorno à McLaren ou à Brawn, líder do campeonato.

“Decidimos conjuntamente encerrar meu contrato com a Ferrari um ano mais cedo”, disse Raikkonen, antes do Grande Prêmio do Japão no domingo.

“Lamento deixar uma equipe com a qual passei três anos fantásticos repletos de vitórias. Eu consegui ser o campeão mundial de 2007, objetivo que tinha desde o início da minha carreira. Sempre levarei ótimas memórias comigo.”

SEGUNDO ESPANHOL

Raikkonen venceu o título de 2007 por um ponto, e no ano passado ficou em um decepcionante terceiro lugar.

Ele está em quinto nesta temporada após um ano fraco na Ferrari, que permanece em terceiro lugar entre os construtores a três corridas do final.

O brasileiro Felipe Massa está fora de ação desde o acidente no Grande Prêmio da Hungria, em julho, mas já começou a correr de kart e espera estar preparado para o início da próxima temporada, se não antes.

O italiano Giancarlo Fisichella, no lugar de Massa nesta temporada, será o piloto reserva da Ferrari no ano que vem.

Alonso, 28, esteve associado durante anos com a Ferrari e as especulações sobre o anúncio aumentaram no Grande Prêmio da Itália, no mês passado, quando a Ferrari revelou um acordo de patrocínio com o banco espanhol Santander.